top of page
B3D2186C-5FD4-45F5-9A95-9415A2C4926F.jpeg

“Dois Personagens Portugueses”

(2019)
para quinteto -  fl, cl, vl, vc, pno

Na origem da composição destas duas peças está o meu interesse pelo folclore português, e o desejo de partilhar a tradição musical daí proveniente em territórios nacional e internacional através da apropriação deste material musical para a minha música.

 

Ambas as peças deste conjunto têm como base melodias tradicionais retiradas do Cancioneiro Popular Português, de Michel Giacometti em colaboração com F. Lopes-Graça (Circulo de Leitores, 1981), respetivamente os números (por ordem de aparecimento nas peças) 189. (Amolar Tixoiras - flautim), 192. (Oh Devotos e Devotas - Peditório das trovoadas), 148. ( Laço da dança dos pauliteiros), e 39. (Meus Irmãos, Cuidai na Morte Encomendação das almas). A inspiração para a sua composição foi retirada do imaginário de um Portugal rural quotidiano, e das possibilidades várias da inserção das melodias acima referidas nesse mesmo quotidiano.

O Amolador, a primeira peça do conjunto, tenta retratar um dia da vida de quem vive esta profissão: desde o acordar, ir trabalhar, o escutar de entoações de melodias religiosas no caminho desde casa à área de trabalho, um possível encontro com cães vadios, o trabalho na praça da vila, até ao voltar para casa ainda com a memória das melodias que toca diariamente no Flautim que, por sua vez, é também um instrumento de trabalho e finalmente acolher o sono e o silêncio que com ele vem.

A segunda peça, Os Pauliteiros, tem o objetivo de retratar uma dança tradicional da Terra de Miranda, a Dança dos Pauliteiros. A peça retrata um pouco também o contexto dos arraiais folclóricos tradicionais do interior do país, através de elementos como a aproximação ao timbre da gaita-de-foles pelo clarinete, o timbre da rabeca através do violino, o som dos bordões no violoncelo e piano, e de diversos elementos percussivos executados por vários instrumentos (incluindo na coda final uma imitação do ritmo tradicional dos bombos nos arraiais tradicionais).

bottom of page